Games - Os 10 Melhores de 2013

Postado em quarta-feira, 15 de janeiro de 2014 |
2013 foi um ótimo ano para a indústria de jogos. Muitos jogos bons, uma nova geração de video-games, um movimento de regionalização dos jogos para a língua portuguesa e vários reboots audaciosos marcaram esse ano.  Vamos rever então os dez melhores jogos de 2013.

10 - Injustice: Gods Among Us

Quem diria que uma pancadaria no mundo da DC iria render um jogo tão bom? É simplesmente um dos melhores jogos de luta do ano, com a mecânica consagrada de Mortal Kombat (o qual eu não consigo jogar nem a pau), movimentação fluída com resposta rápida, belos visuais e finalizações empolgantes, Injustice: God Among Us conquista tanto os fãs quanto os novatos sob um artifício: Porrada!

9 - Rayman Legends

Quem achava que jogos 2-D estavam com seus dias contados não esperava pelo sucesso que Rayman Origins iria fazer e em resultado desse sucesso estrondoso surgiu Rayman Legends que conseguiu superar o jogo anterior numa aventura ainda mais épica com visuais ainda mais vivos e cenários ainda mais desafiadores. Ver que um jogo pode apenas retornar à sua formula original para se encontrar é gratificante, e Rayman seguiu esse regra à risca resgatando aquele sentimento de nostalgia dos clássicos side-scrollers.

8 - Tomb Raider

Ela voltou! Fazia muito tempo que Tomb Raider andava esquecida com ocasionais títulos sem muito destaque. Mas enfim resolveram recontar a história de Lara Croft e fizeram isso de uma forma excelente. Um nova Lara Croft, mais humana, mais vulnerável, mais irresistível, mais heroica... ai ai Larinha. Gráficos ótimos, jogabilidade competente e aventura de primeira no renascimento de uma das melhores séries do mundo dos video-games.

7 - Gran Turismo 6

Mais um Gran Turismo desembarca bem no finalzinho da sétima geração para provar que o Play Station 3 ainda tem um grande poder de fogo em um dos melhores simuladores de todos os tempos. Gran Turismo 6 sofreu algumas remodelações em eventos, menus e visuais que deram um ar totalmente novo e mais amigável ao jogo. Totalmente em português e bem mais descontraindo, contando até com missões na lua (?!), Gran Turismo 6 é um jogo obrigatório para fãs de simulação e donos de um Play Station 3.

6 - Devil May Cry (DmC)
Esse foi o ano em que os reboots chamaram muita atenção pela qualidade. Devil May Cry foi vítima de um desses recomeços e se saiu muito bem. O novo episódio da consagrada franquia de Hack 'n Slash traz um protagonista que ainda leva suas habilidades angélicas e demoníacas como uma aberração e uma forma de ser ainda mais "folgado" e sínico do que seria normalmente... e isso é uma coisa muito boa. A Ninja Theory fez um ótimo trabalho ‘ocidentalizando’ o jogo, criando um universo extremamente divertido e respeitoso aos fãs e convidativo aos novatos. Se você é um dos que ainda não jogaram porque acha que o jogo é uma afronta a honra de Dante, pense novamente.

5 - Far Cry 3
Mas o que um jogo de 2012 está fazendo aqui!? Calma gafanhotos! O jogo tinha lançamento previsto pro início de 2013, mas acabou sendo adiantado e, infelizmente, se tornou inelegível para qualquer premiação, então achei justo incluí-lo nessa lista, até porque, o jogo é excelente. Far Cry 3 nos apresentou a um dos vilões mais célebres e amados dos últimos anos, Vaas, o louco que resolveu enterrar um cara na areia da praia e mijar na cara dele, só pra descontrair.  A mecânica consagrada e intricada de um ótimo FPS está presente num jogo que conseguiu se reinventar numa aventura perigosa e estimulante até o último segundo.

4 - Assassin's Creed Black Flag
Logo quando ouvi falar desse jogo eu torci o nariz num 360º frenético. Sinceramente não esperava que ele fosse tão bom quanto realmente é. Entretanto vamos admitir uma coisa: Ele deixou muito do que consideramos essencial num jogo de Assassin's Creed de lado: Os Assassinos. Mesmo assim ele é um jogo absurdamente divertido com um protagonista muito carismático e lindos visuais. A sensação de sair de uma batalha com um navio numa tempestade com tsunamis e presenciar o tempo limpar e navegar num lindo oceano azul refletindo a luz do sol enquanto seus marujos cantam animadas canções sob o efeito do rum é impagável. Pode não ser um ótimo Assassin's Creed, mas é um dos melhores jogos do ano.
3 - Bioshock Infinite
Eu vi gente que não gostou desse jogo...essas pessoas não tem deus no coração. O fato aqui é que Bioshock Infinite não é algo exatamente novo. Ele mantêm muitas das mecânicas dos clássicos jogos de FPS, mudando muito pouco em sua essência. Mas Bioshock Infinite se sobressai na forma como conduz a história, que é uma das melhores desse ano. Não é simplesmente um jogo de tiro comum, porque há tantas ramificações num universo tão intricado, deslumbrante e vivo que você não consegue parar de jogar e de sempre descobrir algo novo, algo que estava escondido bem diante dos seus olhos. Por todo esse universo utópico e a sutileza em detalhes, Bioshock Infinite é um jogo que será lembrado com um clássico de 2013.

2 - GTA V

Quando um GTA desembarca não tem como ficar indiferente à grandiosidade do trabalho da Rockstar. GTA V tem seus altos e baixos mas dá tudo o que é possível extrair dessa ultima geração dos video-games, exibindo um jogo extremamente complexo, detalhista, divertido e que vai garantir longas horas de jogatina no seu console. Eu joguei muito pouco do jogo e, embora não tenha achado que o jogo se destaque como o melhor jogo do ano por falta de originalidade, ele se destaca como uma das experiências mais completas e prazerosas que você pode ter num jogo.

1 - The Last of Us

O melhor jogo de 2013, não vejo dúvida nisso. Pelo menos para mim The Last of Us foi uma experiência completa e marcante. Desde os primeiros minutos iniciais até o final impactante que te deixa sem palavras, o jogo não mede esforços para ser grandioso, uma jornada dramática, que coloca o jogador em situações onde você não gostaria de estar, mas motivado à não sair de lá sem saber o que acontece em seguida. Não é só um jogo, acredite, é uma obra artística que merece sua atenção, uma prova de que um jogo pode ser muito mais do que só uma diversão descompromissada. Uma obra poderosa, surpreendente, ousada e pessoal e, definitivamente, uma das melhores experiências de 2013.

Gostou? Não gostou? Esqueci alguma coisa? Comenta ai! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário